Espaço reservado à reflexão sobre questões que nos incomodam e nem sempre tivemos com quem nos aconselhar. Reflete a opinião de quem, embora não seja dono da verdade, se esforça por ser um servo fiel dela. Existe algo que sempre o incomodou e que ainda não encontrou resposta satisfatória? Este é o seu espaço, você poderá perguntar o que quiser e eu lhe direi o que penso, embasado na Bíblia Sagrada. Trazer-lhe a Palavra de Deus e tirar a sua dúvida, ajudando-o (a) a refletir acerca de seu dia-a-dia é o que mais desejo. Você pode usar o espaço "comentários" para enviar suas perguntas ou, se preferir, mande-as via e-mail: pr.sandromarcio@hotmail.com e aguarde a publicação da resposta no blog.
Que Deus nos ajude!

terça-feira, 10 de julho de 2012

Viu ou não Viu?

Em 09/07/2012

Iran escreveu:

Caro Pastor

Antes de fazer a minha pergunta quero parabeniza-lo pela resposta da pergunta anterior feita pelo nosso irmão Jônatas Amorim ("O espírito do Profeta Samuel, numa Sessão Espírita...").

Bem, aqui vai a minha pergunta, em 1º Samuel 15-35 diz: E nunca mais viu Samuel a Saul até ao dia da sua morte. Depois em 1º Samuel 19-24 diz que Saul profetizou diante de Samuel, porém sabemos que a morte de Saul se deu no cap. 31-4 através de suicídio.

Fico no aguardo da resposta do Pastor.

A Paz do Senhor.


Querido irmão Iran,


Realmente estes dois textos apresentam dificuldades num primeiro exame:

1 Samuel
15.35 Nunca mais viu Samuel a Saul até ao dia da sua morte; porém tinha pena de Saul. O SENHOR se arrependeu de haver constituído Saul rei sobre Israel.

19. 24 Também ele despiu a sua túnica, e profetizou diante de Samuel, e, sem ela, esteve deitado em terra todo aquele dia e toda aquela noite; pelo que se diz: Está também Saul entre os profetas?

Resposta:

Existe uma aparente contradição, pois, como você reparou, em 15.35 diz que Samuel nunca mais viu a Saul e em 19.24, temos um novo encontro dos dois.

Nossa primeira atitude seria de conferir a cronologia, visto que nem sempre um texto subseqüente está em ordem cronológica; todavia, acompanhando os fatos narrados, vemos que eles estão em seqüência, portanto a resposta não está aí.

Poderíamos também sugerir que no segundo texto Saul foi até onde Samuel estava, mas, este não o viu; contudo, é pouco provável que Samuel não notasse o rei profetizando o dia todo despido diante dele.

Neste caso, vale a pena um estudo um pouco mais acurado, fazendo uma rápida análise léxico-gramatical do primeiro texto.

Vemos que a palavra hebraica do versículo 35 do cap. 15 que foi traduzida por “viu” é o verbo da’ha, que tanto pode significar ver, prover, considerar, contemplar, inspecionar, etc.

Como no versículo seguinte ao texto supracitado:
Disse o SENHOR a Samuel: Até quando terás pena de Saul, havendo-o eu rejeitado, para que não reine sobre Israel? Enche um chifre de azeite e vem; enviar-te-ei a Jessé, o belemita; porque, dentre os seus filhos, me provi de um rei. (1 Samuel 16.1)

Onde lemos: “me provi de um rei”, é usado o mesmo verbo “da’ha”, mostrando que Deus estava “olhando” outra pessoa para ser rei de Israel no lugar de Saul.

Este mesmo verbo (da’ha) é usado em Gênesis 22.8 quando Abraão diz a Isaque:

Deus proverá para si, meu filho, o cordeiro para o holocausto.

Embora em português o verbo ver possa ser usado, entendemos que não se trate de um mero “olhar” e sim um olhar com uma atitude especial.

Também em português muitas vezes usamos as palavras ver e olhar, de forma figurada, quando dizemos:
- Deus olha por mim! (O Senhor cuida de mim!)
- Por favor, me vê esse sapato! (não apenas veja, mas, traga-o para mim)
- Eu olhei, mas não vi! (quero dizer que vi, mas, não reparei)
- Não tenho olhos para outra mulher! (É só a essa que eu desejo)
- Ela passa por mim e nem me vê! (Acho que essa nem precisa explicar...)

Assim, conforme o texto e o contexto indicam, Samuel não mais olharia para Saul como seu rei, a quem devesse atenção e serviço; não mais exerceria seu ofício profético a seu favor; enfim, era o fim do trabalho conjunto entre Samuel e Saul. Embora Samuel voltasse a vê-lo em 19.24, não o fez como seu servo ou aliado, pelo contrário, naquele dia, o Espírito Santo se apossou de Saul, impedindo-o de alcançar e matar ao futuro rei Davi, a quem Samuel então protegia.

Samuel nunca mais prestou sua atenção a Saul!

Espero assim ter elucidado a questão!

Que Deus o abençoe!

Pr. Sandro Márcio

2 comentários: