Espaço reservado à reflexão sobre questões que nos incomodam e nem sempre tivemos com quem nos aconselhar. Reflete a opinião de quem, embora não seja dono da verdade, se esforça por ser um servo fiel dela. Existe algo que sempre o incomodou e que ainda não encontrou resposta satisfatória? Este é o seu espaço, você poderá perguntar o que quiser e eu lhe direi o que penso, embasado na Bíblia Sagrada. Trazer-lhe a Palavra de Deus e tirar a sua dúvida, ajudando-o (a) a refletir acerca de seu dia-a-dia é o que mais desejo. Você pode usar o espaço "comentários" para enviar suas perguntas ou, se preferir, mande-as via e-mail: pr.sandromarcio@hotmail.com e aguarde a publicação da resposta no blog.
Que Deus nos ajude!

terça-feira, 15 de outubro de 2013

Como entender Eclesiastes 3.18-21?

Pr.sandro marcio, gostaria que, se possivel fosse, o amado pastor explicar-se "Eclesiaste 3.18-21" grato.lucelio gomes 


Bom dia, querido irmão Lucélio.

Antes de falar especificamente sobre o texto em questão, entendo ser necessário algum esclarecimento sobre o livro de Eclesiastes.


Eclesiastes significa pregador, ou aquele que chama as pessoas para uma reunião.
O autor, inspirado por Deus, provavelmente Salomão, cf. 1.11,12,16 e 2:9, em suas andanças e pesquisas sobre o que acontece aos homens que vivem debaixo do sol ou do céu (cf. Eclesiastes 1:3,9,13,14;  2:3,11,17,18,19,20,22; 3:1,16; 4:1,3,7,15; 5:13,18; 6:1,12; 7:6; 8:9,15,17; 9:3,6,9,11,13 e 10:5), fazendo uso da prodigiosa sabedoria que Deus lhe deu, nos dá excelentes conselhos acerca do bem viver.

Por exemplo:
2. 24  Nada há melhor para o homem do que comer, beber e fazer que a sua alma goze o bem do seu trabalho. No entanto, vi também que isto vem da mão de Deus,
25  pois, separado deste, quem pode comer ou quem pode alegrar-se?

3. 1 Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo propósito debaixo do céu:

4. 9  Melhor é serem dois do que um, porque têm melhor paga do seu trabalho.
10  Porque se caírem, um levanta o companheiro; ai, porém, do que estiver só; pois, caindo, não haverá quem o levante.

5. 1 Guarda o pé, quando entrares na Casa de Deus; chegar-se para ouvir é melhor do que oferecer sacrifícios de tolos, pois não sabem que fazem mal.
2  Não te precipites com a tua boca, nem o teu coração se apresse a pronunciar palavra alguma diante de Deus; porque Deus está nos céus, e tu, na terra; portanto, sejam poucas as tuas palavras.

7. 5  Melhor é ouvir a repreensão do sábio do que ouvir a canção do insensato.

9. 9  Goza a vida com a mulher que amas, todos os dias de tua vida fugaz, os quais Deus te deu debaixo do sol; porque esta é a tua porção nesta vida pelo trabalho com que te afadigaste debaixo do sol.

10  Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças, porque no além, para onde tu vais, não há obra, nem projetos, nem conhecimento, nem sabedoria alguma.


Além disso, o Eclesiastes trata de uma situação difícil de entender e mais ainda de aceitar (principalmente para muitos crentes hoje em dia) que é a falta de justiça que acompanha a sociedade humana e, muitas vezes perdura até a morte do indivíduo, dando o mesmo o fim tanto às pessoas boas quanto às más e até mesmo a inversão, quando, nesta vida, o homem bom sofre males, enquanto o malvado recebe o bem como recompensa imediata dos seus atos.

Confira:
1.16 Pois, tanto do sábio como do estulto, a memória não durará para sempre; pois, passados alguns dias, tudo cai no esquecimento. Ah! Morre o sábio, e da mesma sorte, o estulto!
4. 1 Vi ainda todas as opressões que se fazem debaixo do sol: vi as lágrimas dos que foram oprimidos, sem que ninguém os consolasse; vi a violência na mão dos opressores, sem que ninguém consolasse os oprimidos.
5. 8  Se vires em alguma província opressão de pobres e o roubo em lugar do direito e da justiça, não te maravilhes de semelhante caso; porque o que está alto tem acima de si outro mais alto que o explora, e sobre estes há ainda outros mais elevados que também exploram.
7. 7 Verdadeiramente, a opressão faz endoidecer até o sábio, e o suborno corrompe o coração.
15  Tudo isto vi nos dias da minha vaidade: há justo que perece na sua justiça, e há perverso que prolonga os seus dias na sua perversidade.
20  Não há homem justo sobre a terra que faça o bem e que não peque.
8. 6  Porque para todo propósito há tempo e modo; porquanto é grande o mal que pesa sobre o homem.
7  Porque este não sabe o que há de suceder; e, como há de ser, ninguém há que lho declare.
9 Tudo isto vi quando me apliquei a toda obra que se faz debaixo do sol; há tempo em que um homem tem domínio sobre outro homem, para arruiná-lo.
10  Assim também vi os perversos receberem sepultura e entrarem no repouso, ao passo que os que frequentavam o lugar santo foram esquecidos na cidade onde fizeram o bem; também isto é vaidade.
11  Visto como se não executa logo a sentença sobre a má obra, o coração dos filhos dos homens está inteiramente disposto a praticar o mal.
9. 2  Tudo sucede igualmente a todos: o mesmo sucede ao justo e ao perverso; ao bom, ao puro e ao impuro; tanto ao que sacrifica como ao que não sacrifica; ao bom como ao pecador; ao que jura como ao que teme o juramento.
3  Este é o mal que há em tudo quanto se faz debaixo do sol: a todos sucede o mesmo; também o coração dos homens está cheio de maldade, nele há desvarios enquanto vivem; depois, rumo aos mortos.
11 Vi ainda debaixo do sol que não é dos ligeiros o prêmio, nem dos valentes, a vitória, nem tampouco dos sábios, o pão, nem ainda dos prudentes, a riqueza, nem dos inteligentes, o favor; porém tudo depende do tempo e do acaso.
12  Pois o homem não sabe a sua hora. Como os peixes que se apanham com a rede traiçoeira e como os passarinhos que se prendem com o laço, assim se enredam também os filhos dos homens no tempo da calamidade, quando cai de repente sobre eles.
10. 5  Ainda há um mal que vi debaixo do sol, erro que procede do governador:
6  o tolo posto em grandes alturas, mas os ricos assentados em lugar baixo.
11. 8  Ainda que o homem viva muitos anos, regozije-se em todos eles; contudo, deve lembrar-se de que há dias de trevas, porque serão muitos. Tudo quanto sucede é vaidade.
12. 1 Lembra-te do teu Criador nos dias da tua mocidade, antes que venham os maus dias, e cheguem os anos dos quais dirás: Não tenho neles prazer;

Daí a insistência na palavra “vaidade” que ocorre por cerca de 40 vezes em Eclesiastes, denunciando que todos os planos e realizações nesse mundo, sem a mente posta na eterna Justiça de Deus não passam de vaidade e correr atrás do vento, uma temporária ilusão, que, fatalmente se desfará na morte.

Conforme:

1:2  Vaidade de vaidades, diz o Pregador; vaidade de vaidades, tudo é vaidade.
1:14  Atentei para todas as obras que se fazem debaixo do sol, e eis que tudo era vaidade e correr atrás do vento.
2:1 Disse comigo: vamos! Eu te provarei com a alegria; goza, pois, a felicidade; mas também isso era vaidade.
2:11  Considerei todas as obras que fizeram as minhas mãos, como também o trabalho que eu, com fadigas, havia feito; e eis que tudo era vaidade e correr atrás do vento, e nenhum proveito havia debaixo do sol.
2:15 Pelo que disse eu comigo: como acontece ao estulto, assim me sucede a mim; por que, pois, busquei eu mais a sabedoria? Então, disse a mim mesmo que também isso era vaidade.
2:17 Pelo que aborreci a vida, pois me foi penosa a obra que se faz debaixo do sol; sim, tudo é vaidade e correr atrás do vento.
2:19 E quem pode dizer se será sábio ou estulto? Contudo, ele terá domínio sobre todo o ganho das minhas fadigas e sabedoria debaixo do sol; também isto é vaidade.
2:21 Porque há homem cujo trabalho é feito com sabedoria, ciência e destreza; contudo, deixará o seu ganho como porção a quem por ele não se esforçou; também isto é vaidade e grande mal.
2:23 Porque todos os seus dias são dores, e o seu trabalho, desgosto; até de noite não descansa o seu coração; também isto é vaidade.
2:26  Porque Deus dá sabedoria, conhecimento e prazer ao homem que lhe agrada; mas ao pecador dá trabalho, para que ele ajunte e amontoe, a fim de dar àquele que agrada a Deus. Também isto é vaidade e correr atrás do vento.
3:19 Porque o que sucede aos filhos dos homens sucede aos animais; o mesmo lhes sucede: como morre um, assim morre o outro, todos têm o mesmo fôlego de vida, e nenhuma vantagem tem o homem sobre os animais; porque tudo é vaidade.
4:4 Então, vi que todo trabalho e toda destreza em obras provêm da inveja do homem contra o seu próximo. Também isto é vaidade e correr atrás do vento.
4:7 Então, considerei outra vaidade debaixo do sol,
4:8 isto é, um homem sem ninguém, não tem filho nem irmã; contudo, não cessa de trabalhar, e seus olhos não se fartam de riquezas; e não diz: Para quem trabalho eu, se nego à minha alma os bens da vida? Também isto é vaidade e enfadonho trabalho.
4:16  Era sem conta todo o povo que ele dominava; tampouco os que virão depois se hão de regozijar nele. Na verdade, que também isto é vaidade e correr atrás do vento.
5:7  Porque, como na multidão dos sonhos há vaidade, assim também, nas muitas palavras; tu, porém, teme a Deus.
5:10  Quem ama o dinheiro jamais dele se farta; e quem ama a abundância nunca se farta da renda; também isto é vaidade.
6:2  o homem a quem Deus conferiu riquezas, bens e honra, e nada lhe falta de tudo quanto a sua alma deseja, mas Deus não lhe concede que disso coma; antes, o estranho o come; também isto é vaidade e grave aflição.
6:9  Melhor é a vista dos olhos do que o andar ocioso da cobiça; também isto é vaidade e correr atrás do vento.
6:11 É certo que há muitas coisas que só aumentam a vaidade, mas que aproveita isto ao homem?
6:12 Pois quem sabe o que é bom para o homem durante os poucos dias da sua vida de vaidade, os quais gasta como sombra? Quem pode declarar ao homem o que será depois dele debaixo do sol?
7:6  Pois, qual o crepitar dos espinhos debaixo de uma panela, tal é a risada do insensato; também isto é vaidade.
7:15  Tudo isto vi nos dias da minha vaidade: há justo que perece na sua justiça, e há perverso que prolonga os seus dias na sua perversidade.
8:10  Assim também vi os perversos receberem sepultura e entrarem no repouso, ao passo que os que frequentavam o lugar santo foram esquecidos na cidade onde fizeram o bem; também isto é vaidade.
8:14 Ainda há outra vaidade sobre a terra: justos a quem sucede segundo as obras dos perversos, e perversos a quem sucede segundo as obras dos justos. Digo que também isto é vaidade.
11:8 Ainda que o homem viva muitos anos, regozije-se em todos eles; contudo, deve lembrar-se de que há dias de trevas, porque serão muitos. Tudo quanto sucede é vaidade.
11:10 Afasta, pois, do teu coração o desgosto e remove da tua carne a dor, porque a juventude e a primavera da vida são vaidade.
12:8  Vaidade de vaidade, diz o Pregador, tudo é vaidade.

Assim, uma das principais mensagens que encontramos no livro de Eclesiastes é que o Senhor nos ordena fazer o que é certo pois, apesar das aparências, devemos confiar que Deus, no tempo certo, há de fazer a Justiça triunfar, ainda que seja apenas na eternidade!

3:17  Então, disse comigo: Deus julgará o justo e o perverso; pois há tempo para todo propósito e para toda obra.
11. 9  Alegra-te, jovem, na tua juventude, e recreie-se o teu coração nos dias da tua mocidade; anda pelos caminhos que satisfazem ao teu coração e agradam aos teus olhos; sabe, porém, que de todas estas coisas Deus te pedirá contas.
12: 7  e o pó volte à terra, como o era, e o espírito volte a Deus, que o deu.
12:14  Porque Deus há de trazer a juízo todas as obras, até as que estão escondidas, quer sejam boas, quer sejam más.
Eclesiastes 3:11 Tudo fez Deus formoso no seu devido tempo; também pôs a eternidade no coração do homem, sem que este possa descobrir as obras que Deus fez desde o princípio até ao fim.
Eclesiastes 3:14  Sei que tudo quanto Deus faz durará eternamente; nada se lhe pode acrescentar e nada lhe tirar; e isto faz Deus para que os homens temam diante dele.
Eclesiastes 12:5  como também quando temeres o que é alto, e te espantares no caminho, e te embranqueceres, como floresce a amendoeira, e o gafanhoto te for um peso, e te perecer o apetite; porque vais à casa eterna, e os pranteadores andem rodeando pela praça;
 
Nossa esperança de Justiça prossegue para além desta vida, como disse o servo Jó:

Porque eu sei que o meu Redentor vive e por fim se levantará sobre a terra. Depois, revestido este meu corpo da minha pele, em minha carne verei a Deus. Vê-lo-ei por mim mesmo, os meus olhos o verão, e não outros; de saudade me desfalece o coração dentro de mim. Jó 19. 25-27


Isto é, sem sombra de dúvidas, um duro e necessário golpe na moderna crendice de que basta se tornar crente para que todos os seus sonhos se realizem já nesta vida!

Infelizmente, muitos crentes nem sequer cogitam a ordem de nosso Senhor para que tomem a cruz (sofrimento) e o sigam!


Quanto ao texto específico de Eclesiastes 3. 18-21,

Veja que o versículo 18 diz: ... é por causa dos filhos dos homens...
Então perguntamos: Isto o quê é por causa?

O que nos leva aos versículos anteriores, 16 e 17.

16 Vi ainda debaixo do sol que no lugar do juízo reinava a maldade e no lugar da justiça, maldade ainda.
17 Então, disse comigo: Deus julgará o justo e o perverso; pois há tempo para todo propósito e para toda obra.

[e então]

18 Disse ainda comigo: é por causa dos filhos dos homens, para que Deus os prove, e eles vejam que são em si mesmos como os animais.
19 Porque o que sucede aos filhos dos homens sucede aos animais; o mesmo lhes sucede: como morre um, assim morre o outro, todos têm o mesmo fôlego de vida, e nenhuma vantagem tem o homem sobre os animais; porque tudo é vaidade.
20 Todos vão para o mesmo lugar; todos procedem do pó e ao pó tornarão.
21 Quem sabe se o fôlego de vida dos filhos dos homens se dirige para cima e o dos animais para baixo, para a terra?

22 Pelo que vi não haver coisa melhor do que alegrar-se o homem nas suas obras, porque essa é a sua recompensa; quem o fará voltar para ver o que será depois dele?

É neste contexto da ineficiência ou mesmo ausência da plena justiça entre os homens que o Pregador (eclesiastes) é obrigado a assumir que, do que é perceptível debaixo do céu, isto é, no mundo em que vivemos, a vida e a morte humanas pouco diferem das dos animais. Pois, com os olhos humanos, neste mundo que nos cerca, não podemos vislumbrar a verdadeira Justiça de Deus, que só será plenamente contemplada no dia do Juízo.

Assim, o livro de Eclesiastes não ensina que com a morte ocorre o “sono da alma” ou o completo aniquilamento, como alguns pensam, e sim que a morte representa a nossa determinante retirada deste cenário e, ao menos para nós, em relação ao que se faz debaixo do sol, é o final de tudo aquilo para o que, arrogantemente, pensamos ter algum domínio!

Com isto cooperam as palavras de Jesus no Evangelho:

Mas Deus lhe disse: Louco, esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será? Lucas 12:20

Espero ter sanado sua dúvida!

Um forte abraço,


Pr. Sandro Márcio

5 comentários:

  1. Boa tarde e a paz de nosso Senhor Jesus!
    Pr. e amigo Sandro, gostaria de poder entender melhor a respeito de um assunto bíblico em que me gerou um pouco de duvida.

    O Ap. PAULO quando refere-se a Timóteo. Inclui diversas instruções.
    Como entender em termos: teologicos, historico e cronológico o tipo de assunto de 1Tm 4:1-6...

    1 ¶ Mas o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios;

    2 Pela hipocrisia de homens que falam mentiras, tendo cauterizada a sua própria consciência;

    3 Proibindo o casamento, e ordenando a abstinência dos alimentos que Deus criou para os fiéis, e para os que conhecem a verdade, a fim de usarem deles com ações de graças;

    4 Porque toda a criatura de Deus é boa, e não há nada que rejeitar, sendo recebido com ações de graças.

    5 Porque pela palavra de Deus e pela oração é santificada.

    6 ¶ Propondo estas coisas aos irmãos, serás bom ministro de Jesus Cristo, criado com as palavras da fé e da boa doutrina que tens seguido.

    Att:

    Diego.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Me desculpe, ñ relatei o ponto chave de minha duvida!
      É entre os versículos 3/4/5 e 6.

      Obrigado + uma vez.....

      Att:

      Diego.

      Excluir
  2. Boa tarde, Diego.
    Esta passagem trata da liberação de Deus para que comamos os alimentos com gratidão e liberdade de consciência. Vemos como erram aqueles que tentam nos forçar a uma única dieta alimentar (salvo por questões médicas, é claro).
    Peço que especifique melhor a sua dúvida, em forma de pergunta, pois o texto mencionado é muito rico e merece não apenas um post, mas, livros e livros a respeito. Aguardo seu retorno!

    ResponderExcluir
  3. A Teologia protestante seguiu a católica no tocante à existência numa suposta alma que sobrevive consciente à morte do corpo. Essa ideia pertence ao Platonismo, ou seja, a dualidade corpo/alma. Não vejo tal doutrina na Bíblia, a não ser nas traduções. Paulo afirma que aquele que morreu está justificado do pecado, pois a morte é o salário do pecado. Quem morre paga a dívida. Jesus pagou nossa dívida com respeito à segunda morte, porque com ele morremos e com ele ressuscitaremos. Esse o ensino das epístolas de Paulo, as quais estão em harmonia com o restante das Escrituras, Daniel afirma que os que DORMEM NO PÓ DA TERRA ressuscitarão. Jesus afirmou que os mortos ouvirão sua voz e SAIRÃO DOS TÚMULOS. Logo, não existem almas conscientes em lugar nenhum, os mortos estão mortos e ressuscitarão na volta de Cristo.
    "Louco, esta noite te pedirão a tua alma" é, na verdade, "Louco, esta noite te pedirão TUA VIDA."
    Salmo 146: 'Sai-lhes o espírito (fôlego de vida) e voltam ao pó, e nesse mesmo dia perecem TODOS OS SEUS DESÍGNIOS." Se houvesse sobrevivência da alma com consciência, como poderiam perecer todos os seus desígnios?
    Não sou adventista nem TJ, mas tenho de dar razão à eles nesse assunto.

    ResponderExcluir
  4. Caro amigo Adilson, muito obrigado pela sua visita e participação neste blog.

    Quanto ao assunto em questão, devo lhe dizer que, de mente honesta não somos seguidores do catolicismo romano e nem da filosofia humana, mas, do estudo sincero e dedicado das Escrituras Sagradas. É da Bíblia Sagrada (e somente dela) que firmo a minha crença na vida consciente da pessoa (alma) entre a morte e a ressurreição.
    Por exemplo:
    "Ora, de um e outro lado, estou constrangido, tendo o desejo de partir e estar com Cristo, o que é incomparavelmente melhor" (Filipenses 1.23).
    O apóstolo Paulo disse estas palavras falando de seu anseio de morrer e ir morar com Jesus, o que ele chama de "incomparavelmente melhor" que a vida aqui. Se ele estivesse falando de um estado profundo de sono da alma, sem a menor sombra de dúvidas ele haveria de preferir continuar na terra a serviço da igreja de Cristo.

    Temos ainda diversos textos bíblicos analisados em seus contextos, que provam a verdade do estado intermediário das almas no céu ou no inferno.

    Peço que leia com atenção aos posts que publiquei tratando mormente destes assuntos:

    http://respondapastor.blogspot.com.br/2010/12/o-ser-humano-e-corpo-e-alma-corpo-e.html

    http://respondapastor.blogspot.com.br/2010/10/onde-as-almas-ficam-hospedadas-apos.html

    http://respondapastor.blogspot.com.br/2010/08/o-espirito-do-profeta-samuel-numa.html

    http://respondapastor.blogspot.com.br/2011/12/qual-o-destino-daqueles-que-morrem-na.html

    http://respondapastor.blogspot.com.br/2011/08/onde-sera-o-destino-final-dos-cristaos.html

    http://respondapastor.blogspot.com.br/2011/03/existe-pregacao-para-os-mortos.html

    http://respondapastor.blogspot.com.br/2012/03/vida-eterna-nas-garras-do-diabo.html

    Aguardo o seu retorno com as dúvidas que ainda houver!

    No temor de Cristo,

    Pr. Sandro Márcio

    ResponderExcluir