Espaço reservado à reflexão sobre questões que nos incomodam e nem sempre tivemos com quem nos aconselhar. Reflete a opinião de quem, embora não seja dono da verdade, se esforça por ser um servo fiel dela. Existe algo que sempre o incomodou e que ainda não encontrou resposta satisfatória? Este é o seu espaço, você poderá perguntar o que quiser e eu lhe direi o que penso, embasado na Bíblia Sagrada. Trazer-lhe a Palavra de Deus e tirar a sua dúvida, ajudando-o (a) a refletir acerca de seu dia-a-dia é o que mais desejo. Você pode usar o espaço "comentários" para enviar suas perguntas ou, se preferir, mande-as via e-mail: pr.sandromarcio@hotmail.com e aguarde a publicação da resposta no blog.
Que Deus nos ajude!

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Divórcio e Novo Casamento

Boa Noite!
Pastor, preciso tirar uma dúvida a respeito do novo casamento.
Já li e reli vários estudos e opiniões a respeito do novo casamento e vejo que pela biblia  quem contrai um novo casamento a não ser por traição. Comete Adultério.
A minha dúvida é que a biblia também fala que os Adúlteros não herdarão o reino dos céus. Por isso gostaria de saber, quem está nessa situação de um novo casamento perde a salvação? Não há mais esperança para quem esta em uma situação assim?
Apesar da pergunta não estou nessa situação de um novo casamento.
Peço gentileza caso poste minha pergunta no Blog não revelar o meu sobrenome.
Aguardo seu retorno
Abraços

Querido (a) irmão (ã),
A Bíblia Sagrada nos ensina que

O plano de Deus para o casamento é que ele dure até a morte.

I Coríntios 7.39  A mulher está ligada enquanto vive o marido; contudo, se falecer o marido, fica livre para casar com quem quiser, mas somente no Senhor.

Contudo, pela dureza dos corações Deus permitiu o divórcio.

Mateus 19. 8  Respondeu-lhes Jesus: Por causa da dureza do vosso coração é que Moisés vos permitiu repudiar vossa mulher; entretanto, não foi assim desde o princípio.

Em caso de divórcio, os únicos motivos que permitem o novo casamento para a parte inocente, são o adultério e o abandono obstinado.

Mateus 5.32  Eu, porém, vos digo: qualquer que repudiar sua mulher, exceto em caso de relações sexuais ilícitas, a expõe a tornar-se adúltera; e aquele que casar com a repudiada comete adultério.
I Coríntios 7.15  Mas, se o descrente quiser apartar-se, que se aparte; em tais casos, não fica sujeito à servidão nem o irmão, nem a irmã; Deus vos tem chamado à paz.


Este é o entendimento da Igreja Presbiteriana do Brasil (e também o meu), conforme expresso na Confissão de Fé de Westminster:

Posto que a corrupção do homem seja tal que o incline a procurar argumentos a fim de indevidamente separar aqueles que Deus uniu em matrimônio, contudo só é causa suficiente para dissolver os laços do matrimônio o adultério ou uma deserção tão obstinada que não possa ser remediada nem pela Igreja nem pelo magistrado civil; para a dissolução do matrimônio é necessário haver um processo público e regular. não se devendo deixar ao arbítrio e discrição das partes o decidirem seu próprio caso. Cap. XXIV, VI.

- Pessoalmente, creio que a agressão e a violência doméstica possam ser contadas entre os justos motivos de dissolução do casamento; pois, bem se enquadram na classe de abandono que impede a paz; porém, essa opinião não é compartilhada por todos.

Aos demais casos em que haja divórcio, a Bíblia recomenda a castidade ou o retorno ao cônjuge.

I Coríntios 7.10 e 11 Ora, aos casados, ordeno, não eu, mas o Senhor, que a mulher não se separe do marido (se, porém, ela vier a separar-se, que não se case ou que se reconcilie com seu marido); e que o marido não se aparte de sua mulher.

Mas, o que dizer de pessoas que se divorciaram por quaisquer motivos, antes de se converterem?
Creio que cabe a solução bíblica:

2 Coríntios 5:17 E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas.

E quanto àqueles que não são as partes fiéis, ou que se casaram sem o consentimento bíblico; estarão todos em pecado perpétuo, condenados e sem perdão?

De fato, quem não for viúvo e se casou novamente, não sendo em caso de adultério ou abandono obstinado, desobedeceu a ordem de Deus.
Romanos 7.3  De sorte que será considerada adúltera se, vivendo ainda o marido, unir-se com outro homem; porém, se morrer o marido, estará livre da lei e não será adúltera se contrair novas núpcias.

E a Bíblia assegura que os adúlteros, entre outros, não herdarão o reino dos céus:
1 Coríntios 6:9 ¶ Ou não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem impuros, nem idólatras, nem adúlteros, nem efeminados, nem sodomitas, nem ladrões, nem avarentos, nem bêbados, nem maldizentes, nem roubadores herdarão o reino de Deus.

Hebreus 13:4  Digno de honra entre todos seja o matrimônio, bem como o leito sem mácula; porque Deus julgará os impuros e adúlteros.

Todavia,  não sejamos injustos de condenar pessoas ainda vivas ao inferno, pois, sempre há lugar para o arrependimento.
Como lemos na continuação do texto mencionado de I Coríntios 6.9e 10.
1 Coríntios 6:11  Tais fostes alguns de vós; mas vós vos lavastes, mas fostes santificados, mas fostes justificados em o nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito do nosso Deus.

De acordo com Jesus, o único pecado, para o qual não há perdão é a blasfêmia contra o Espírito Santo:
Mateus 12:31  Por isso, vos declaro: todo pecado e blasfêmia serão perdoados aos homens; mas a blasfêmia contra o Espírito não será perdoada.

Para os demais pecados a Palavra de Deus oferece perdão através de Jesus Cristo, mediante o arrependimento:

Filhinhos meus, estas coisas vos escrevo para que não pequeis. Se, todavia, alguém pecar, temos Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo; e ele é a propiciação pelos nossos pecados e não somente pelos nossos próprios, mas ainda pelos do mundo inteiro. I João 2. 1 e 2

Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça. I João 1.9

Daí a pergunta:
Deve aquele que está casado segunda vez abandonar a nova esposa, como prova de arrependimento?

Penso que não, pois, não se conserta um erro cometendo outro, uma vez que se desfará mais uma família!

Temos o exemplo do adúltero Davi, que tendo se arrependido, manteve sua nova mulher, Bate-Seba e, após a morte do primeiro filho, com a bênção de Deus, tiveram a Salomão (futuro rei de Israel), ao mesmo tempo em que sofriam as conseqüências humanas e sociais pelos seus pecados.
Conforme II Samuel Caps. 11-19 e Salmo 51.

Insiro abaixo o texto da Confissão de Fé de Westminster sobre esse tema:

CAPÍTULO XXIV
DO MATRIMÔNIO E DO DIVÓRCIO
I. O casamento deve ser entre um homem e uma mulher; ao homem não é licito ter mais de uma mulher nem à mulher mais de um marido, ao mesmo tempo.
Ref. Gen. 2:24; Mat. 19:4-6; Rom. 7:3.
II. O matrimônio foi ordenado para o mútuo auxílio de marido e mulher, para a propagação da raça humana por uma sucessão legítima e da Igreja por uma semente santa, e para impedir a impureza.
Ref. Gen. 2:18, e 9:1; Mal.2:15; I Cor. 7:2,9.
III. A todos os que são capazes de dar um consentimento ajuizado, é lícito casar; mas é dever dos cristãos casar somente no Senhor; portanto, os que professam a verdadeira religião reformada não devem casar-se com infiéis, papistas ou outros idólatras; nem devem os piedosos prender-se desigualmente pelo jugo do casamento aos que são notoriamente ímpios em suas vidas ou que mantém heresias perniciosas.
Ref. Heb. 13:4; I Tim. 4:3; Gen.24:57-58; I Cor. 7:39; II Cor. 6:14.
IV. Não devem casar-se as pessoas entre as quais existem os graus de consangüinidade ou afinidade proibidos na palavra de Deus, tais casamentos incestuosos jamais poderão tornar-se lícitos pelas leis humanas ou consentimento das partes, de modo a poderem coabitar como marido e mulher.
Ref. I Cor. 5:1; Mar. 6:18; Lev. 18:24, 28.
V. O adultério ou fornicação cometida depois de um contrato, sendo descoberto antes do casamento, dá à parte inocente justo motivo de dissolver o contrato; no caso de adultério depois do casamento, à parte inocente é lícito propor divórcio, e depois de obter o divórcio casar com outrem, como se a parte infiel fosse morta.
Ref. Mat, 1: 18-20, e 5:31-32, e 19:9.
VI. Posto que a corrupção do homem seja tal que o incline a procurar argumentos a fim de indevidamente separar aqueles que Deus uniu em matrimônio, contudo só é causa suficiente para dissolver os laços do matrimônio o adultério ou uma deserção tão obstinada que não possa ser remediada nem pela Igreja nem pelo magistrado civil; para a dissolução do matrimônio é necessário haver um processo público e regular. não se devendo deixar ao arbítrio e discrição das partes o decidirem seu próprio caso.


Espero ter sanado sua dúvida.

No temor de Cristo,

Pr. Sandro Márcio

13 comentários:

  1. Amado amigo e pastor,eu não consigo entender esse texto de Mateus 5.32 Eu, porém, vos digo: qualquer que repudiar sua mulher, exceto em caso de relações sexuais ilícitas, a expõe a tornar-se adúltera; e aquele que casar com a repudiada comete adultério. Você bem sabe o por que estou perguntando. Agradeço desde já o esclarecimento,um forte abraço,Ceiça.

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde, irmã querida, saudades de você e de sua amada família!
    Infelizmente, são muitos casos de famílias destruídas em nossos dias, mas, devemos crer na restauração que vem de Deus!
    No texto que você mencionou, Jesus está afirmando a seriedade do matrimônio, que não pode ser desfeito por qualquer motivo, sob risco de incitar o outro ao adultério. Como apresentei acima, em apenas duas situações a Bíblia permite o novo casamento à parte inocente, que são o adultério e a deserção obstinada (abandono). Quando alguém entende que se torna impossível viver com seu cônjuge por algum outro motivo, deve entender que não está livre para se casar novamente, e que expõe o outro a buscar um (a) novo (a) companheiro (a), o que então se configura em adultério, e, neste caso, a meu ver, não há parte inocente. Mas, como procurei explicar com minha resposta, entendo que o arrependimento e a fé em Jesus Cristo, mesmo que não isente das duras consequências do pecado, podem dar esperança a essa família que começou errada, como foi no caso do rei Davi!
    Sendo este um assunto muito delicado, recomendo que o pastor e o conselho da igreja sejam consultados para dar a resposta apropriada para cada caso, sempre em submissão à Palavra de Deus!

    ResponderExcluir
  3. A paz de nosso Senhor Jesus Cristo. Pr Sandro, falando em matéria de divórcio, sou casado exclusivamente com a minha primeira e única esposa , e muito bem casado. Eu e minha esposa estamos vivendo uma situação muito, digamos complicada. Depois de aproximadamente 5 anos, e depois de diversos escandalos envolvendo o pastor da igreja, como: suposto aliciamento sexual infantil a qual responde processo e, irregularidades fiscais com a parte do templo. Deixo claro aqui, que entendemos perfeitamente que grandes homens usados por Deus, passaram por diversas perseguições. E das quais, mais o diabo aplica são: acusações, calúnias e difamações.
    Mas, o ponto que mais nos constrange é saber que, o suposto pastor encotra-se no terceiro casamento, e todos eles envolve filhos. E quando nos chocamos com a palavra de 1 Tm 3:2, ( o bispo deve ser um homem que ninguém possa culpar de nada. Deve ter somente uma esposa, ser moderado, prudente e simples...) fica muito claro que tais condutas contradizem tal "chamado".
    Estamos orando à Deus, por um novo lar (igreja) espiritual, pois já que essa situação parece não ser reversível.
    Gostariamos muito de que o senhor (Pr.), Com sua vasta experiência pastoral nos ajudasse.
    Desde já, agradecemos pelo carinho em orientar a luz da bíblia Sagrada.

    Att:
    Diego

    ResponderExcluir
  4. Querido irmão, desde já agradeço pela confiança em compartilhar esse sério problema!
    Infelizmente, amado irmão, hoje em dia, muitos tem tratado o casamento e o divórcio como algo de somenos importância; todavia, não é assim que vemos na Palavra de Deus. E se tratarmos da família pastoral, ainda mais se intensifica o problema.
    É claro que Deus pode tornar novas todas as coisas; mas, isto, mediante o verdadeiro arrependimento do pecador, assumindo as consequências do erro, inclusive a inadequação para o ministério pastoral. Creio que é muito diferente um incrédulo divorciado que venha a ser convertido e mais tarde pastor, daquele que já pastor e venha a se divorciar, exceto se ele for a parte inocente.
    Como muitas coisas estão envolvidas e mal resolvidas com esse pastor, de maneira que não podemos saber em quem acreditar, para que a sua família receba o alimento espiritual que tanto necessitamos, aconselho ao irmão que procure uma outra igreja evangélica que tenha uma pregação fiel às Escrituras Sagradas, que administre com seriedade os Sacramentos (Batismo e Santa Ceia) e que zele pelo comportamento e disciplina de seus membros. Mas, ao sair dessa igreja, faça na melhor educação e respeito, evitando de fazer juízos sobre as pessoas e as coisas que ainda não ficaram bem esclarecidas.
    Sempre que precisar, conte com minha amizade e orações!
    Um forte abraço.
    Que Deus o ilumine!

    ResponderExcluir
  5. Que resposta mais absurda! Aquele que está num segundo casamento NÃO deve largar essa relação como prova de arrependimento? Que não se conserta um erro com outro? Que absurdo o que você está aconselhando... Se segundo casamento é adultério e adúlteros não herdarão o Reino dos Céus, então, deve-se abandonar esse pecado já! Você falou que não se conserta um erro com outro... Como desmanchar uma união que a Bíblia chama de adultério seria um erro? ERRO É PERMANECER NELE! Arrependimento somente não ganha perdão, mas arrependimento e abandono do pecado. Leia Provérbios 28:13 “O que encobre as suas transgressões nunca prosperará, mas o que as confessa e DEIXA, alcançará misericórdia.” Segundo casamento não é casamento para Deus, pois enquanto o primeiro e único cônjuge estiver vivo, continuam sendo uma só carne diante de Deus. A Bíblia diz que se apartar, que fique sem casar ou reconcilie com o esposo ou esposa. A Palavra ainda fala em Mateus 19:12 “... e há eunucos que se castraram a si mesmos, por causa do reino dos céus. Quem pode receber isto, receba-o.” Este versículo quer dizer que houve pessoas que absteram-se de sexo, não se casaram novamente, porque sabiam que perderiam a salvação. Quem pode entender isso que entenda! Outra coisa, as pessoas valorizam muito a nova família constituída contra os planos de Deus, debaixo de desobediência a Ele, mas esquecem do casamento que Deus uniu. Muitas mulheres e maridos traídos e abandonados de seus primeiros casamentos buscam, em Deus, a restauração de seus matrimônios. Essa família é a legítima diante do Pai. Continuem em seus casamentos adúlteros e esperem a justiça de Deus! A Palavra de Deus não vai mudar para se encaixar às vontades pecaminosas do homem. Lembre-se que quem aconselha alguém a desviar ou se manter no caminho do pecado também será julgado por Deus.

    ResponderExcluir
  6. Caro amigo anônimo, como você bem disse, já não estamos falando de adultério e sim de um segundo casamento, após o divórcio. Biblicamente não é aceitável diante de Deus que se desfaça este segundo casamento para voltar ao primeiro. Observe Deuteronômio 24.1 - 4: Se um homem tomar uma mulher e se casar com ela, e se ela não for agradável aos seus olhos, por ter ele achado coisa indecente nela, e se ele lhe lavrar um termo de divórcio, e lho der na mão, e a despedir de casa; e se ela, saindo da sua casa, for e se casar com outro homem; e se este a aborrecer, e lhe lavrar termo de divórcio, e lho der na mão, e a despedir da sua casa ou se este último homem, que a tomou para si por mulher, vier a morrer, então, seu primeiro marido, que a despediu, não poderá tornar a desposá-la para que seja sua mulher, depois que foi contaminada, pois é abominação perante o SENHOR; assim, não farás pecar a terra que o SENHOR, teu Deus, te dá por herança.
    Embora as condições não sejam idênticas, e os tempos sejam outros, penso que o princípio eterno deva ser aplicado.
    Eu bem sei de minha responsabilidade e imperfeição; por isso procuro diante de Deus dar o melhor e mais bíblico conselho que o Senhor tem me ensinado. Mas, mesmo assim, lhe agradeço a participação e saudável preocupação! Que Deus nos ilumine!

    ResponderExcluir
  7. Bon dia pastor..
    a paz do senhor seja. Contigo !

    Estou muito desesperada e sem orientaçao nenhuma e preciso de ajuda.
    a tres meses aceitei jesus como meu salvador. Ainda estou conhecendo o evangelho mas ja estou passando por uma situaçao q nao desejo para meu pior inimigo:
    Atualmente moro em Sao paulo mas sou do ceara. La minha vida era um verdadeiro lamaçal de pecado.Foi entao q conheci pela internet o rapaz que estou morando junto agora. Planejamos e eu vim pra sao paulo visita-lo e acabei ficando.Ele me contou que era evangelico mas q estava afastado devido a algumas razoes pessoais, e que era casado mas estava separado da ex a 6 meses.contou tambem que os dois eram crentes , se casaram no civil quando estavam na igreja mas depois se desviaram e devido a uma enchurrada de pecados ela resolveu acabar tudo e foi embora . Ele disse q mesmo afastado do evangelho ainda tentou resolver mas ela nao aceitou e cada um foi viver sua mas nao se divorciaram perante a lei.Ate ai tudo normal eu pensei mas agora eh que vem o vendaval: Decidimos morar juntos. E ele afirmou q queria se divorciar pois nao tinha mas nenhuma maneira de terem vinculos sendo q cada um seguiu a vida. No mesmo dia q aceitei jesus ele voltou pra cristo e falou q ja havia conversado com ela sobre o divorcio e ela concordou pois tambem estava com outra pessoa la.
    entao continuamos aqui buscando uma resposta e a presença mais e mais de Deus.Sei q estou em pecado por estar com ele e ele tambem sabe mas nos amamos e eu construi uma familia com ele e nunca fui tao feliz na vida mas quando buscamos ajuda ds homens para nos orientar melhor nunca achamos. Eu quero seguir a cristo verdadeiramente mas estou sofrendo porque me sinto algo " que atrapalha a vontade de Deus que o 1° casamento seja eterno" mas tambem nao entendo pirque Deus me trouxe pra meu atual companheiro. Eh uma situaçao q meu desespera pois sei q ser feita a vontade de Deus mas como ser humano falho pecador me angustiu poois amo ele, estamos construindo uma vida juntos e de tao agustiada cheguei ate pensar em ir embora e dizer a ele pra " voltar pra ex e tentar reparar o casamento de ambos" mesmo q isso me mate por dentro pois o amo tanto q abriria mao da mim mesma pela salvaçao de ambos se assim for a vontade de Meu senhor.por dentro pois me agarrei a uma passagem da biblia em 1° PEDRO 3:17 -" PORQoUE MELHOR. É QUE PADEÇAIS FAZENDO BEM(SE A VONTADE DE DEUS ASSIMO QUER)DO QUEFAZENDO MAL"
    Mas ele ja me afirmou varias vezes q nao quer de jeito nenhum. ao mesmo tempo q sofro sei q ele tambem sofre com tudpo isso. Nao sei o que faço pois acredito num Deus misericordioso que ama os filhos que se arrependem dos pecados e tambem sei q mesmo perdoados ainda sim pagamos as consequencias de nossos erros passados.entreguei tudo nas maos de Deus mas Por favor me ajude, sera q continuamos juntos buscando o perdao e misericordia de Deus? Sera q devo abrir mao de tudo para q eles voltem pois assim é o certo mesmo q eu sofra ? Sei q nao vououvir um sim ou nao mas preciso de uma orientaçao pra nao fazer nada por minhas maos e depois sofrer .
    Obg

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paz do Senhor, irmã! Se eu entendi direito, diante de tudo o que a irmã referiu, recomendo-lhe que peçam perdão a Deus, agilizem os trâmites de divórcio se casem logo! Peço que Leia o texto principal e os comentários; acredito que lhe ajudará a refletir! Que Deus lhe ilumine!

      Excluir
  8. Boa noite pastor .
    Me chamo Rayanne. Conheci o seu blog hoje pois estava buscando saber mais sobre o divorcio, novo casamento e tals segundo a palavra de Deus. Bom estou me relacionando com uma pessoa q se divorciou por motivo de traição dps de varias vezes descobertas e ele é da mesma congregação q eu vai fazer 4meses. passamos a ter esse relacionamento serio e assumido por agora pq ele estava se divorciando (de papel passado) e por medo do q as pessoas de nossa igreja e liderança pensaria de nós. Pq la eles sao contra isso., e principalmente novo casamento.. mais enfim gostaria de saber o que o senhor nos aconselha referente a isso. Pois estamos nesse relacionamento e congregando na mesma denominação.. mas o que fazer pois queremos nos casar na igreja e estamos em uma denominaçao onde isso nao nos sera permitido :(
    Espero que tenha compreendido a minha pergunta. Deus o abençoe!

    ResponderExcluir
  9. Querida irmã, é preciso ter bem definido em seus corações o que Deus requer acerca de divórcio e novo casamento. Quanto à igreja não concordar, se vocês, de consciência tranquila com Deus e com a Bíblia acreditam diferente, só lhes resta trocar de denominação, pois não podemos seguir algo que nos parece errado, apenas para agradar a homens. Que Deus lhes ilumine!

    ResponderExcluir
  10. Pastor bom dia, tenho uma dúvida uma pessoa que se divorciou sem ser por motivo de traição, seu ex marido se casou novamente, a mulher que é a divorciada ode-se casar? Ou ambos (que se divorciaram) estarão em adultério ?

    ResponderExcluir
  11. Em caso de adultério, a Bíblia faculta à parte inocente o direito de se casar de novo, como se fosse um caso de viuvez. No caso de divórcio sem motivo lícito, parte inocente seria apenas aquela que foi obrigada a aceitar que o outro a tenha deixado e, por fim acabe vendo-o com outra pessoa. A meu ver, essa sim poderia refazer sua vida sem culpa. Mas, quando ambas querem a separação, em caso de novo casamento de uma delas, onde está a parte inocente? Só mesmo Deus, através do verdadeiro arrependimento para dar a Sua bênção ao pecador; mas Ele jamais concordará com a banalização do casamento!

    ResponderExcluir
  12. Bom dia, meu amado pastor, minha filha tem 32 anos, eu e minha esposa sempre ensinamos a palavra de deus para ela. Recentemente ela conheceu um irmão na igreja onde congrega, e esse irmão, além de ter quase o dobro da idade dela, ou seja da minha idade, nasceu em berço evangélico, abandonou a igreja quando jovem, casou-se com uma jovem não evangélica e espírita, após alguns anos de casamento e já ter sido pai, ele resolveu voltar para os caminhos do senhor, todavia, comecou a ter problemas em casa, no relacionamento com a esposa que nao aceitava seu retdore a igreja. ele então, saiu de casa, e depois se divorciou,ainda que sua esposa não o tivesse traidt. Agora minha filha quer casar-se com esse irmão, e eu nao aceito o casamebca, pois entendo que se minha filha, que nunca se casou, e nem teve nenhum tipo de relaciirelacionamento com homens. Casando-se nestas condições com esse homem, ela estará em adulterio, correto, eu o que eu faço, meu pastor, eu como pai, eu desesperado, pois vive toda minha vida nos caminhos do senhor, casai-me,e vou completar 33 anos de um feliz matrimônio. Estou precisando de ajuda. Grato, urgente.

    ResponderExcluir