Espaço reservado à reflexão sobre questões que nos incomodam e nem sempre tivemos com quem nos aconselhar. Reflete a opinião de quem, embora não seja dono da verdade, se esforça por ser um servo fiel dela. Existe algo que sempre o incomodou e que ainda não encontrou resposta satisfatória? Este é o seu espaço, você poderá perguntar o que quiser e eu lhe direi o que penso, embasado na Bíblia Sagrada. Trazer-lhe a Palavra de Deus e tirar a sua dúvida, ajudando-o (a) a refletir acerca de seu dia-a-dia é o que mais desejo. Você pode usar o espaço "comentários" para enviar suas perguntas ou, se preferir, mande-as via e-mail: pr.sandromarcio@hotmail.com e aguarde a publicação da resposta no blog.
Que Deus nos ajude!

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

O espírito do Profeta Samuel, numa Sessão Espírita?


Em 08/08/2010

Jônatas escreveu:
Pastor, tenho uma dúvida. Gostaria que o senhor falasse sobre a medium em En-Dor a quem Saul consulta em 1 Samuel 28. O profeta Samuel foi, de fato, evocado de sua morte naquele momento? De que maneira explicaria essa passagem a um espírita?

Resposta:


Eis o texto bíblico: 1 Samuel 28:3-25
3  Já Samuel era morto, e todo o Israel o tinha chorado e o tinha sepultado em Ramá, que era a sua cidade; Saul havia desterrado os médiuns e os adivinhos.
4  Ajuntaram-se os filisteus e vieram acampar-se em Suném; ajuntou Saul a todo o Israel, e se acamparam em Gilboa.
5  Vendo Saul o acampamento dos filisteus, foi tomado de medo, e muito se estremeceu o seu coração.
6  Consultou Saul ao SENHOR, porém o SENHOR não lhe respondeu, nem por sonhos, nem por Urim, nem por profetas.
7 ¶ Então, disse Saul aos seus servos: Apontai-me uma mulher que seja médium, para que me encontre com ela e a consulte. Disseram-lhe os seus servos: Há uma mulher em En-Dor que é médium.
8  Saul disfarçou-se, vestiu outras roupas e se foi, e com ele, dois homens, e, de noite, chegaram à mulher; e lhe disse: Peço-te que me adivinhes pela necromancia e me faças subir aquele que eu te disser.
9  Respondeu-lhe a mulher: Bem sabes o que fez Saul, como eliminou da terra os médiuns e adivinhos; por que, pois, me armas cilada à minha vida, para me matares?
10  Então, Saul lhe jurou pelo SENHOR, dizendo: Tão certo como vive o SENHOR, nenhum castigo te sobrevirá por isso.
11  Então, lhe disse a mulher: Quem te farei subir? Respondeu ele: Faze-me subir Samuel.
12  Vendo a mulher a Samuel, gritou em alta voz; e a mulher disse a Saul: Por que me enganaste? Pois tu mesmo és Saul.
13  Respondeu-lhe o rei: Não temas; que vês? Então, a mulher respondeu a Saul: Vejo um deus que sobe da terra.
14  Perguntou ele: Como é a sua figura? Respondeu ela: Vem subindo um ancião e está envolto numa capa. Entendendo Saul que era Samuel, inclinou-se com o rosto em terra e se prostrou.
15 ¶ Samuel disse a Saul: Por que me inquietaste, fazendo-me subir? Então, disse Saul: Mui angustiado estou, porque os filisteus guerreiam contra mim, e Deus se desviou de mim e já não me responde, nem pelo ministério dos profetas, nem por sonhos; por isso, te chamei para que me reveles o que devo fazer.
16  Então, disse Samuel: Por que, pois, a mim me perguntas, visto que o SENHOR te desamparou e se fez teu inimigo?
17  Porque o SENHOR fez para contigo como, por meu intermédio, ele te dissera; tirou o reino da tua mão e o deu ao teu companheiro Davi.
18  Como tu não deste ouvidos à voz do SENHOR e não executaste o que ele, no furor da sua ira, ordenou contra Amaleque, por isso, o SENHOR te fez, hoje, isto.
19  O SENHOR entregará também a Israel contigo nas mãos dos filisteus, e, amanhã, tu e teus filhos estareis comigo; e o acampamento de Israel o SENHOR entregará nas mãos dos filisteus.
20 ¶ De súbito, caiu Saul estendido por terra e foi tomado de grande medo por causa das palavras de Samuel; e faltavam-lhe as forças, porque não comera pão todo aquele dia e toda aquela noite.
21  Aproximou-se de Saul a mulher e, vendo-o assaz perturbado, disse-lhe: Eis que a tua serva deu ouvidos à tua voz, e, arriscando a minha vida, atendi às palavras que me falaste.
22  Agora, pois, ouve também tu as palavras da tua serva e permite que eu ponha um bocado de pão diante de ti; come, para que tenhas forças e te ponhas a caminho.
23  Porém ele o recusou e disse: Não comerei. Mas os seus servos e a mulher o constrangeram; e atendeu. Levantou-se do chão e se assentou no leito.
24  Tinha a mulher em casa um bezerro cevado; apressou-se e matou-o, e, tomando farinha, a amassou, e a cozeu em bolos asmos.
25  E os trouxe diante de Saul e de seus servos, e comeram. Depois, se levantaram e se foram naquela mesma noite.

Caro Jônatas,

Quanto a esta passagem bíblica, podemos afirmar que trata de um ardil da mulher enganando Saul ou do diabo enganando os dois.
Considere:
a)      Se Deus não quis falar com Saul por meios lícitos, não seria por meio de algo condenado pelo próprio Deus, que o Senhor o atenderia, ainda mais com a participação do profeta Samuel que, fiel a Deus, sempre fora contra a feitiçaria.  “Consultou Saul ao SENHOR, porém o SENHOR não lhe respondeu, nem por sonhos, nem por Urim, nem por profetas” (1 Samuel 28. 6).Não vos voltareis para os necromantes, nem para os adivinhos; não os procureis para serdes contaminados por eles. Eu sou o SENHOR, vosso Deus” Levítico 19:31. “Porque a rebelião é como o pecado de feitiçaria, e a obstinação é como a idolatria e culto a ídolos do lar. Visto que rejeitaste a palavra do SENHOR, ele também te rejeitou a ti, para que não sejas rei” (I Sm 15.23).  
b)     O rei Saul não viu nem ouviu nada além da performance da mulher adivinha. Este detalhe abre a possibilidade de uma fraude por parte da médium. “Perguntou ele: Como é a sua figura? Respondeu ela: Vem subindo um ancião e está envolto numa capa. Entendendo Saul que era Samuel, inclinou-se com o rosto em terra e se prostrou” (1 Samuel 28. 14).
c)     A “mensagem” dada pelo “Samuel” da sessão espírita, naquilo em que estava certa, só fez repetir as palavras que o verdadeiro Samuel já havia falado quando vivo; e naquilo que foi “predito” pelo espírito, como a entrega de Saul aos filisteus, o próprio Saul fez questão de contrariar, suicidando-se antes que os inimigos o alcançassem. Então, disse Saul ao seu escudeiro: Arranca a tua espada e atravessa-me com ela, para que, porventura, não venham estes incircuncisos, e me traspassem, e escarneçam de mim. Porém o seu escudeiro não o quis, porque temia muito; então, Saul tomou da espada e se lançou sobre ela. Vendo, pois, o seu escudeiro que Saul já era morto, também ele se lançou sobre a sua espada e morreu com ele” (1 Samuel 29:4, 5).
d)      Saul foi condenado por seus crimes, dentre eles o fato de ter buscado a pitonisa. Fazer o mesmo que ele fez é atrair para si a mesma condenação.  “Assim, morreu Saul por causa da sua transgressão cometida contra o SENHOR, por causa da palavra do SENHOR, que ele não guardara; e também porque interrogara e consultara uma necromante" (1 Crônicas 10:13); Apocalipse 21:8  "Quanto, porém, aos covardes, aos incrédulos, aos abomináveis, aos assassinos, aos impuros, aos feiticeiros, aos idólatras e a todos os mentirosos, a parte que lhes cabe será no lago que arde com fogo e enxofre, a saber, a segunda morte".

Se Samuel não apareceu para Saul, então quem foi?

Aceitando-se que a médium não estivesse encenando tudo, resta a presença de espíritos enganadores. Neste ponto, Allan Kardec nos daria razão, pois ele escreveu:
Um fato demonstrado pela observação e confirmado pelos próprios Espíritos é que os Espíritos inferiores apresentam-se muitas vezes com nomes conhecidos e respeitados. Quem pode, portanto, assegurar que aqueles que dizem ter sido Sócrates, Júlio César, Carlos Magno, Fénelon, Napoleão, Washington, etc. tenham realmente animado esses personagens? Essa dúvida existe entre alguns adeptos bastante fervorosos da Doutrina Espírita. Admitem a intervenção e a manifestação dos Espíritos, mas perguntam que controle podemos ter da sua identidade. Esse controle é de fato bastante difícil de realizar, mas se não pode ser feito de maneira tão autêntica como por uma certidão de registro civil, pode sê-lo por presunção, através de certos indícios.” (“O Livro dos Espíritos” – p. 41. Editora Opus Ltda. 2ª edição especial, 1985).
E ainda:
“Devemos igualmente desconfiar dos Espíritos que se apresentam com muita facilidade usando nomes bastante venerados, e só com muita reserva aceitar o que dizem. Nesses casos, sobretudo, é que um controle se torna indispensável. Porque é freqüentemente a máscara que usam para levar-nos a crer em pretensas relações íntimas com Espíritos excelsos. Dessa maneira eles lisonjeiam a vaidade do médium e se aproveitam dela para o induzirem a atos lamentáveis e ridículos”. (“O Livro dos Médiuns” – p. 402. Editora Opus Ltda. 2ª edição especial, 1985).
Como vemos até Kardec sabia da fragilidade da identificação destes espíritos; todavia, o seu erro maior foi pensar se tratar de espíritos mentirosos de pessoas mortas, quando na verdade trata-se de demônios que se aproveitam da saudade dos parentes dos falecidos, da impossibilidade da volta dos verdadeiros parentes mortos, que estão no céu ou no inferno e, principalmente, da doutrina espírita, que lhes possibilitam acesso aos seres humanos que, sensibilizados, se deixam enganar.


Um outro erro do tal "espírito de Samuel" que talvez nos ajude a desmascará-lo foi o de afirmar que o profeta Samuel teria dito antes ao rei Saul que Davi reinaria em seu lugar:


I Samuel 28.17 Porque o SENHOR fez para contigo como, por meu intermédio, ele te dissera; tirou o reino da tua mão e o deu ao teu companheiro Davi.

Contudo, a Bíblia nos conta que o verdadeiro Samuel apenas predisse que o reino seria dado ao companheiro de Saul, mas não revela o nome dele ao rei.

Então, Samuel lhe disse: O SENHOR rasgou, hoje, de ti o reino de Israel e o deu ao teu próximo, que é melhor do que tu. I Samuel 15. 28

1) Samuel não poderia ter dito isso antes ao rei Saul porque se dissesse, até o próprio Samuel correria risco de morte se Saul soubesse que Samuel haveria de ungir a Davi em seu lugar:

Confira:

I Samuel 16.
1 Disse o SENHOR a Samuel: Até quando terás pena de Saul, havendo-o eu rejeitado, para que não reine sobre Israel? Enche um chifre de azeite e vem; enviar-te-ei a Jessé, o belemita; porque, dentre os seus filhos, me provi de um rei.

2 Disse Samuel: Como irei eu? Pois Saul o saberá e me matará. Então, disse o SENHOR: Toma contigo um novilho e dize: Vim para sacrificar ao SENHOR.

3 Convidarás Jessé para o sacrifício; eu te mostrarei o que hás de fazer, e ungir-me-ás a quem eu te designar.

2) Samuel não poderia ter dito isso antes ao rei Saul porque até a última vez que Saul e Samuel se viram e se falaram (Cap. 15 de I Samuel) Samuel não sabia ainda quem deveria ser ungido como novo rei (o que só lhe foi revelado no Cap. 16).

Confira:

I Samuel 15. 35
Nunca mais viu Samuel a Saul até ao dia da sua morte; porém tinha pena de Saul. O SENHOR se arrependeu de haver constituído Saul rei sobre Israel.

I Samuel 16
6. Sucedeu que, entrando eles, viu a Eliabe e disse consigo: Certamente, está perante o SENHOR o seu ungido.
7. Porém o SENHOR disse a Samuel: Não atentes para a sua aparência, nem para a sua altura, porque o rejeitei; porque o SENHOR não vê como vê o homem. O homem vê o exterior, porém o SENHOR, o coração.
11 Perguntou Samuel a Jessé: Acabaram-se os teus filhos? Ele respondeu: Ainda falta o mais moço, que está apascentando as ovelhas. Disse, pois, Samuel a Jessé: Manda chamá-lo, pois não nos assentaremos à mesa sem que ele venha.
12 Então, mandou chamá-lo e fê-lo entrar. Era ele ruivo, de belos olhos e boa aparência. Disse o SENHOR: Levanta-te e unge-o, pois este é ele.

3) Como ficou demonstrado, não foi Samuel quem despertou a inveja e o ódio do rei Saul contra Davi, pois   nunca fora a intenção de Samuel, denunciar a Saul o nome do futuro rei, quem atiçou o rei contra Davi foram as músicas maldosas das mulheres do povo e a incitação de um espírito maligno!

Confira:
I Samuel 18.
6 Sucedeu, porém, que, vindo Saul e seu exército, e voltando também Davi de ferir os filisteus, as mulheres de todas as cidades de Israel saíram ao encontro do rei Saul, cantando e dançando, com tambores, com júbilo e com instrumentos de música.
7 As mulheres se alegravam e, cantando alternadamente, diziam: Saul feriu os seus milhares, porém Davi, os seus dez milhares.
8 Então, Saul se indignou muito, pois estas palavras lhe desagradaram em extremo; e disse: Dez milhares deram elas a Davi, e a mim somente milhares; na verdade, que lhe falta, senão o reino?
9 Daquele dia em diante, Saul não via a Davi com bons olhos.
10 No dia seguinte, um espírito maligno, da parte de Deus, se apossou de Saul, que teve uma crise de raiva em casa; e Davi, como nos outros dias, dedilhava a harpa; Saul, porém, trazia na mão uma lança,
11 que arrojou, dizendo: Encravarei a Davi na parede. Porém Davi se desviou dele por duas vezes.

Observe mais uma vez a palavras registradas em I Samuel 28.17:

Porque o SENHOR fez para contigo como, por meu intermédio, ele te dissera; tirou o reino da tua mão e o deu ao teu companheiro Davi.

Não seria aqui uma mal-disfarçada confissão do próprio espírito maligno que naquele momento zombava do monarca desesperado, o mesmo que no seu passado recente iludira o rei, incitando o seu ódio mortal contra Davi, o novo ungido do Senhor?

Contudo, julgo que o maior erro e perversidade do falso Samuel está justamente nesta fala:

1 Samuel 28:19 O SENHOR entregará também a Israel contigo nas mãos dos filisteus, e, amanhã, tu e teus filhos estareis comigo; e o acampamento de Israel o SENHOR entregará nas mãos dos filisteus.

Aqui, divulga-se a mentira de que todos os espíritos dos mortos, tanto de justos como de incrédulos vão para o mesmo lugar. Ora, se fosse mesmo o espírito de Samuel, jamais se poderia esperar que Saul, uma vez falecido seria contemplado com a mesma sorte, indo parar no mesmo lugar que o finado profeta fiel.

Veja o que Jesus, ensinou sobre a diferença entre o destino imediato da alma dos justos e dos injustos:

Lucas 16.
22 Aconteceu morrer o mendigo e ser levado pelos anjos para o seio de Abraão; morreu também o rico e foi sepultado.
23 No inferno, estando em tormentos, levantou os olhos e viu ao longe a Abraão e Lázaro no seu seio.

Chamo isto de o maior erro da fala do espírito, pois, lança dúvidas sobre a execução da justiça de Deus na existência após a morte.


Diz a Bíblia Sagrada:
Isaías 8:19  Quando vos disserem: Consultai os necromantes e os adivinhos, que chilreiam e murmuram, acaso, não consultará o povo ao seu Deus? A favor dos vivos se consultarão os mortos?
Daniel 12:2 Muitos dos que dormem no pó da terra ressuscitarão, uns para a vida eterna, e outros para vergonha e horror eterno.
Zacarias 10:2  Porque os ídolos do lar falam coisas vãs, e os adivinhos vêem mentiras, contam sonhos enganadores e oferecem consolações vazias; por isso, anda o povo como ovelhas, aflito, porque não há pastor.
Malaquias 3:5  Chegar-me-ei a vós outros para juízo; serei testemunha veloz contra os feiticeiros, e contra os adúlteros, e contra os que juram falsamente, e contra os que defraudam o salário do jornaleiro, e oprimem a viúva e o órfão, e torcem o direito do estrangeiro, e não me temem, diz o SENHOR dos Exércitos.
Lucas 16: 22, 23, 26 Aconteceu morrer o mendigo e ser levado pelos anjos para o seio de Abraão; morreu também o rico e foi sepultado. No inferno, estando em tormentos, levantou os olhos e viu ao longe a Abraão e Lázaro no seu seio. E, além de tudo, está posto um grande abismo entre nós e vós, de sorte que os que querem passar daqui para vós outros não podem, nem os de lá passar para nós.
Atos 24:15  tendo esperança em Deus, como também estes a têm, de que haverá ressurreição, tanto de justos como de injustos.
1 Timóteo 4:1 Ora, o Espírito afirma expressamente que, nos últimos tempos, alguns apostatarão da fé, por obedecerem a espíritos enganadores e a ensinos de demônios...
Hebreus 9:27,28 “E, assim como aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo, depois disto, o juízo, assim também Cristo, tendo-se oferecido uma vez para sempre para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o aguardam para a salvação”.

Creio que restam ainda algumas considerações:
I - Muito embora tenhamos demonstrado biblicamente a impossibilidade do retorno dos mortos a este mundo, senão pela ressurreição, bem como o risco daqueles que insistem nesta busca, de serem vítimas de demônios ou de charlatães, o maior motivo para não se buscar contato com os mortos é que Deus condena toda a tentativa de comunicação com eles!
É importante que se diga que qualquer tentativa de contato com os mortos é em si mesma uma ofensa contra Deus! Por isso, antes mesmo de perguntar se é possível a comunicação com os mortos, ou se o finado profeta Samuel de fato falou com o rei Saul, devemos ter como seguro que, por amor e obediência a Deus, o verdadeiro cristão jamais deve buscar estas coisas, independente das vantagens oferecidas. A mesma proibição se dá em relação às orações que muitos fazem aos falecidos, sejam parentes ou “santos” do catolicismo.

II - Todavia, para o espiritismo não há valor algum em provar biblicamente seus desvios.
O espiritismo jamais se submeteu ao ensinamento bíblico, e nunca se propôs a isto. Ele usa os textos bíblicos apenas como um modo de aproximação aos cristãos. O uso de textos como o da médium de En-dor, a identificação de Elias com João Batista, a pregação de Jesus acerca do novo nascimento, entre outros, só tem valor para eles na medida em que possa gerar alguma dúvida ao cristão; quando provamos que a Bíblia condena a consulta aos mortos, isto não lhes causa nenhuma preocupação, pois para eles, a Bíblia não é a Palavra de Deus.

III - A maior diferença entre o Cristianismo e qualquer seita está na importância que é dada a Jesus Cristo. Cremos que Jesus é o Filho de Deus, nosso único e suficiente salvador, que morreu para nos perdoar os pecados. Para o espiritismo ele é apenas um espírito iluminado; em matéria de perdão o que vale é a lei do carma, que crê que cada um reencarna para expiar seus próprios erros, não existe perdão de pecados!

Lembremo-nos que na Bíblia Sagrada, o perdão que damos ao nosso próximo é a conseqüência do perdão que recebemos de Deus, através de Jesus.
Colossenses 3:13  Suportai-vos uns aos outros, perdoai-vos mutuamente, caso alguém tenha motivo de queixa contra outrem. Assim como o Senhor vos perdoou, assim também perdoai vós;
2 Coríntios 2: 10, 11 A quem perdoais alguma coisa, também eu perdôo; porque, de fato, o que tenho perdoado (se alguma coisa tenho perdoado), por causa de vós o fiz na presença de Cristo; para que Satanás não alcance vantagem sobre nós, pois não lhe ignoramos os desígnios.

9 comentários:

  1. Pastor Sandro,

    gostei muito do seu estudo sobre a passagem de 1Samuel 28. Não imaginava tanta clareza e didatismo em seu discurso - característica que muito poucos cultivam. Gostei, principalmente, da parte em que o senhor lança mão de citações e comentários sobre o kardecismo, estabelecendo contrapontos entre a Bíblia e o livro espírita.
    É algo que poucos fazem, pastor - coisa rara.

    Acredito que o blog está surtindo efeito. Domingo que vem, mesmo, vou me utilizar desse material em sala de escola dominical.
    Esteja certo que o objetivo de seu trabalho dará e já está dando) frutos. Deus está no controle.

    Um forte abraço e até breve!

    ResponderExcluir
  2. Caro Rev. Sandro, parabéns pelo blog. Respostas bem embasadas e com profundo conhecimento bíblico. Que Deus continue abençoando sua vida, família e ministério. Abraço, Ageu.

    ResponderExcluir
  3. Caro Pastor
    Antes de fazer a minha pergunta quero parabeniza-lo pela resposta da pergunta anterior feita pelo nosso irmão Jônatas Amorim.
    Bem, aqui vai a minha pergunta, em 1º Samuel 15-35 diz: E nunca mais viu Samuel a Saul até ao dia da sua morte. Depois em 1º Samuel 19-24 diz que Saul profetizou diante de Samuel, porém sabemos que a morte de Saul se deu no cap. 31-4 através de suicídio.
    Fico no aguardo da resposta do Pastor.
    A Paz do Senhor.

    ResponderExcluir
  4. Para os religiosos bíblicos intolerantes: A Bíblia é, ou não é, a palavra de Deus? As suas Escrituras não foram divinamente inspiradas? Pois quem escreveu o livro bíblico que descreve esta comunicação não foi o rei Saul; ou teria sido Samuel, que já estava em outra dimensão de vida? O autor, ou conjunto de autores que narram este fenômeno mediúnico do povo hebreu analisa verdadeiramente esta manifestação como um fato real positivo entre os dois planos de vida: material e espiritual.

    - Se a Justiça Humana condena a falsidade ideológica: “dos crimes contra a fé pública, código penal brasileiro art 296/305”. Deus o poder absoluto, a perfeição suprema, caso permitisse a presente narração que descortina o sentimento de imortalidade nas pessoas e proclama a soberania de seu poder ilimitado na Natureza, sugestionando a mente das gerações vindouras para uma esperança gloriosa além-túmulo com a possibilidade de intercambio com os que ficaram na existência material. E, lamentavelmente, esta narração tão bela é um “simulacro ?” uma falsidade ideológica que a Onisciência Suprema teria permitido incluir nas páginas das Escrituras do livro sagrado, o Criador estaria induzindo ao erro milhares e milhares de criaturas...

    Muitas pessoas que folheiam as páginas da Bíblia necessitam: olhos para ver, ouvidos para entender as suas mensagens...

    Deus a perfeição absoluta em todas as coisas, com certeza, a sua Justiça é muito superior à Justiça humana.

    A Bíblia para ser palavra irrefutável de Deus, e o autor divinamente inspirado, é quem deveria inserir no seu capítulo: “satã” simulou ao rei Saul através da médium de En-dor ser o espírito do profeta Samuel, caso esta comunicação mediúnica fosse falsa. E, não, religiosos com pouco discernimento no curso dos séculos – os falsos doutores bíblicos de todos os tempos, tentando fazer uma inversão do sentido no seu texto sagrado, semeando dúvidas e desfavorecendo o Poder imensurável de Deus, tal qual os fariseus da época do Cristo que fechavam o portal do conhecimento celeste aos homens, pois nem entravam, e nem permitiam entrar, aqueles que queriam entrar (Mateus 23. 13).

    Saduceus (Lucas 20. 27/38) era uma seita da época do Cristo que negava a imortalidade da alma e sua interação com o plano material. Ainda hoje o saduceismo influencia crenças que se proclamam cristãs, mas que compreendem um “evangelho morto” sem espírito redivivo.

    O conteúdo da Bíblia que se deve assimilar como norma de vida não são os seus registros de inimizades regionalistas, de ódios raciais, de violências e perseguições coletivas alimentando guerras cruentas ceifando vidas, sob a égide de “deuses furiosos” à frente de exércitos sanguinários, que almejavam o temor sobre os povos no decorrer dos séculos passados. E sim, a sua canção de imortalidade que se destina não ao corpo carnal, mas sim ao espírito vivificante exemplificado por Jesus “nosso irmão maior” perante a eternidade, e mensagens que revelam um DEUS – Pai celestial que faz iluminar o sol da vida sobre bons e maus, e descer as chuvas da bonança sobre justos e injustos, Pai dos espíritos imortais, Deus espírito cósmico que determina o amor ao próximo regra básica de paz espiritual e que abre os horizontes da vida eterna às suas criaturas, nas muitas moradas celestiais, a todos que o buscam em espírito e verdade.

    Conscientizemo-nos: “Deus, o Criador, não é Deus de mortos, mas de vivos” ( Lucas 20. 38 )... Quer sejam da Terra, assim como do Além.

    http://vozqclamabr.blogspot.com/
    Intensivo de Difusão Espiritualidade Evangélica – I D E

    ResponderExcluir
  5. SERÁ QUE FOI DEUS QUEM PROIBIU, NA BÍBLIA, A EVOCAÇAO DAS ALMAS DOS MORTOS?

    DEUS, Ser Absoluto e Supremo da Vida no Universo JAMAIS proibiu a evocação das almas dos mortos, conforme muitos religiosos entendem na descrição em Deuteronômio 18. 11 * Pois conforme esclarece o Novo Testamento: NINGUÉM NUNCA VIU A DEUS - João 1. 18 Apenas Jesus que está no seio do Pai, esse o fez conhecer; ou seja, instruiu as palavras de vida eterna verdadeiramente como representante de Deus.

    MOISÉS, SIM, como legislador hebreu proibiu essa prática comum entre os egípcios quando estava formando a soberania da Nação israelita (Deuteronômio 18. 9). E usou o termo que todos os políticos, inclusive da atualidade, usam quando promulgam a Constituição das Leis Sociais de uma Nação, por exemplo, está impresso no cabeçalho da Constituição Federal do Brasil: “Em nome de Deus promulgamos estas Leis, isso não quer dizer que Deus, pessoalmente, é quem decreta essas Leis”

    Também não nos esqueçamos de que o Governo que Moisés estava constituindo era pelo regime de Teocracia = (do grego) Teo = Deus + Kratos = Governo. E os Juízes do Synedrion de Jerusalém eram considerados “deuses” por representarem a Divindade quando analisavam, julgavam e prescreviam normas religiosas para o povo. Por isso Jesus chamou a atenção dos povos, na sua época: “Não está escrito na vossa lei: “SOIS DEUSES” (João 10. 34) Vide também Salmo 82. 6 “vós sois deuses...”

    E Por que Moisés proibiu essa prática? Se era bem comum entre os povos antigos?

    Para evitar possíveis infiltrações de ideias subversivas de inimigos estrangeiros da nação israelita, que transitavam e moravam em seu território. E Moises estava querendo formar uma unidade religiosa, por isso somente o corpo sacerdotal de Israel poderia fazer invocações (Êxodo 28. 1 - 3 e I Samuel 28. 6) Era, portanto, vetado às pessoas comuns usarem a prática de consulta às almas dos antepassados, com a finalidade de fazer adivinhações futuristas (Deuteronômio 18. 14).

    Conscientizemo-nos: A Bíblia foi idealizada, coordenada, redigida, e traduzida para vários idiomas pela própria MÃO do Homem ao longo dos séculos.

    Por isso é que Jesus veio ao planeta Terra para vivenciar a perfectibilidade de Deus Todo Poderoso:

    - que não se ira; não se contradiz; não se arrepende; não é falível; não é regionalista; e nem é limitado.

    É SUPREMO E ABSOLUTO EM TODAS AS COISAS NO UNIVERSO SIDERAL – É ESPÍRITO CELESTIAL (Mateus 6. 9) (João 4. 24) .

    http://vozqclamabr.blogspot.com/
    Intensivo de Difusão Espiritualidade Evangélica – IDE

    ResponderExcluir

  6. COM JESUS, todas as coisas são possíveis para Deus. E Jesus rasgou o véu do templo das proibições e limitações na Natureza, e as barreiras do mundo visível e invisível, material e espiritual que se entrelaçam, e é possível sim, os mortos ressurgirem do Além e se manifestarem visível, sensível, e palpável; ou, mesmo em sonhos para os seres humanos encarnados:

    - vide a transfiguração de Jesus no monte Tabor, onde Elias e o próprio Moisés (que outrora proibira) voltam do além e interagem com Jesus e os apóstolos: Pedro, João, e Tiago (Mateus 17. 1 -13).

    - vide varias manifestações de antepassados em seus corpos espirituais fazendo aparições em Jerusalém a muitas pessoas, comprovando a realidade imutável: a imortalidade da alma (Mateus 27. 51 – 53)

    - vide a boa nova de Jesus sendo pregado até mesmo aos mortos, os habitantes do além na dimensão extrafísica, que estavam desorientados na vida espiritual ( I Pedro 4. 6).

    - vide a boa nova sendo pregado também aos espíritos em prisão, os quais em outras existências foram rebeldes a lei divina ( I Pedro 3. 18 – 20).

    - vide orientação inalterável de Jesus: “Os mortos ouvirão a sua voz, e os que a ouvirem são chamados para uma nova vida (João 5. 25)”. “Porque Deus, não é deus de mortos; e sim de vivos (Lucas 20. 38)”, quer seja da Terra, assim como do Além.

    Você sabia? Que aquele que crê em Jesus também fará as mesmas obras que ele fez, quando encarnado na Terra, e outras maiores ainda realizará (João 14. 12). Porque todas as coisas são possíveis para Deus (Mateus 19. 26).


    http://vozqclamabr.blogspot.com/
    Intensivo de Difusão Espiritualidade Evangélica – IDE

    ResponderExcluir
  7. Caro senhor, agradeço por sua atenção; mas, infelizmente suas palavras não contemplam a matéria da pergunta, apenas refletem a resposta pronta dos espíritas, que tenta fazer crer que não acreditamos em vida após a morte. Cremos sim em vida após a morte e na condenação eterna aos incrédulos, pois a Bíblia assim nos ensina. Também cremos que Cristo é o único e suficiente salvador, sem o qual não há perdão de pecados, e que todos aqueles que pensam outra forma de pagamento ou purificação de pecados hão de sofrer eternamente a perdição, pois a Bíblia assim nos ensina. A ilusão da consulta aos mortos e da crença na reencarnação é o ardil satânico que afasta os homens da única forma de salvação ordenada por Deus: a fé no sacrifício substitutivo de Jesus Cristo!
    No assunto em questão, para compreendermos o erro da tentativa de consulta aos mortos, basta que lembremos a triste consequência dessa atitude tresloucada de Saul:
    Assim, morreu Saul por causa da sua transgressão cometida contra o SENHOR, por causa da palavra do SENHOR, que ele não guardara; e também porque interrogara e consultara uma necromante. 1 Crônicas 10:13
    Quem diz amar a Deus e ao próximo deve, no mínimo, ler e aprender com a Bíblia!

    ResponderExcluir
  8. Pastor Sandro
    Parabéns pela clareza da sua explicação!
    Que o Senhor continue te enchendo de graça e sabedoria!

    ResponderExcluir
  9. Parabéns Rev. Sandro. Deus continue abencoando sua vida. Excelente explicacao.

    ResponderExcluir